9 de mai de 2011

13º Capítulo de Escrito com Sangue 2!

Camila segurava minha mãe nos braços, enquanto prendia sua boca, e usava uma arma na sua mão esquerda apontada para minha mãe. A minha mãe, parecia estar dormindo. Aquilo tudo,era algo de Camila.Camila abria seus lábios, para falar algo.
-Você, sempre fora alguém, já eu, uma qualquer uma. Sempre querendo aparecer, ser melhor. Você, nunca quis ser minha amiga!! Você só queria saber de suas amigas, era O grupinho; Isabelly, Luisy, Carolyne e Súelem. Além de todos os meninos!!! Você acha que eu fico feliz?!?! Eu sempre tive que fazer coisas sozinha, e, ninguém nunca nem ligou para mim!!!Agora, é a minha hora. A hora, de eu aparecer, de eu, ser a melhor, de eu, ser a corajosa.-Camila falava, e eu ficava sem palavras.
-EU nem minhas AMIGAS nunca fizemos issooooo!!!!! Eu sempre te convidei, mas, VOCÊ não queria, eu não sei o que você pensava!!!!E, do mesmo jeito, porque você quer fazer isso com minha mãee!??!-Parei, para respirar, e continuei a falar e chorar.-Ela não tem culpa disso!!
-E nem meu irmão, nem mesmo o Fred tem culpa!!!!!!!!!!-Ela parou de falar, pois, houve um estrondo.
Olhei para minha mãe. Acabou. Caia sangue pelos ares, eu chorava, e ao mesmo tempo gritava.
-POOOOOOOOOOOOOOORRQUUEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!?!!!!!!!!!!!!!!?????????????-Eu gritei, chorando, e tudo a minha volta parecia não existir.
Continuei a chorar, vendo aquela cena horripilante.Era tudo tão...Infernal...
-Ops!Tchau, Tchau.-Camila disse, enquanto colocava minha mãe aos chão cuidadosamente -pelo menos isso- e saindo de casa.
Não pude impidir. Não iria conseguir falar com ninguem; agora, entrava minha mãe na história.Ela, havia morrido, e agora, minha vida não tinha mas porque. Agora, tinha mais do que nunca, ajudar minha mãe. Coloquei-a mais corretamente no chão, e fiquei a olhar seus olhos. Me levantei. Peguei o telefone, e disquei o número de Carolyne. De repente, ela podia me ajudar.
-Alô!?-Dizia Cáah.
-Oi!Tudo bem!?
-Sim... Quem é?!
-È a Isabelly...
-Ahh... Tudo bem!?
-Não...-Começei a chorar, e limpei.-Pode vim aqui em casa?!
-Posso, é claro! Quer adiantar?
-Não.. Mas, não ligue para a polícia, só entre e venha aqui. Ok?
-Ok, estou indo. Até!
-Até...-E desliguei.
Vamos ver o que Carolyne podia fazer por mim... Eu nunca fiz nada para ela, pelo menos, é o que eu acho. Ah! Esqueçi, matei Will. Ah.Eu sou mesmo uma fracassada.Nossa...Fiquei olhando para minha mãe, com seus olhos fechados. Será que não podia passar de um Pesadelo!? Agora, acontece isso!?Ouvi um barulho de ônibos. Sim, era Carolyne. Minha amiga entrou em casa correndo, e chegou até onde eu estava. Quando viu, começou a chorar.Ficou calada, sem uma palavra. Eu,olhava para o rosto da minha amada mãe.
-Fo-f-foi vo-cê?-Minha amiga disse, chorando, e soluçando.
-Não!Foi a...-Parei um pouco e respirei, para falar.-Camila...-Continuei a chorar.
-Qu-e?! Como ela foi possível!?
-Não sei.
Continuei olhando para minha mamãe, enquanto Carolyne chorava.
-Mas, vamos, vamos chamar a Polícia menina!!-Carolyne levantou a voz, tentando fazer algo.
-Ela é louca! Ela vai ser igual a mim, uma fracassada.
-Calma! Porque ela fez isso!?
-Ela disse, muitas coisas, várias coisas...
-O quê?!
Contei a história para Carolyne. Conclusão!? Absurdo.Me levantei. Era hora de prepara tudo. Tinha uma longa jornada.
-Mas... Porque você não chama a polícia!?-Carolyne perguntou, tentando me entender.
-Coisas...
-Ah.
Não podia dizer para ninguém porque não podia falar para a polícia.Nem posso pensar nisso tudo... Que história minha vida & a vida da Camila tinha. Uff.Deixei a Cáah sem jeito...
-Desculpinhas, mas, é outra coisa, que não envolve vocês...-Disse, mesmo que envonve-se.
-Ah.-Repitiu.
Eu era uma fracassada. Havia feito tudo de errado na minha vida.Tudo.E, até agora estava fazendo. Mas, se eu contasse tudo, eu teria perdido tudo que tinha.
-Tem alguma coisa que posso fazer por você, amiga?-Carolyne tentava me ajudar...
-Não.. Mas, Obrigada por me ajudar.
-Ok, então... Vou na padaria. Quer ir?
-Não, Obrigadinha.
-Beijinhos..
-Beijos.
Carolyne ia indo embora.Eu tinha que dar um jeito naquele rolo.

Comente:

Nenhum comentário :

Postar um comentário